Legislação e segurança em robôs colaborativos

Tempo de leitura: 3 minutos

Nos últimos textos, aprendemos sobre as vantagens dos robôs colaborativos e a família de cobots da Universal Robots. A seguir, temos um breve resumo da legislação vigente a respeito de robótica industrial colaborativa, bem como das funções de segurança em robôs colaborativos da Universal Robots.

Funções de Segurança

Os robôs colaborativos possuem 15 funções de segurança ajustáveis, limitando:

  • Força, velocidade,   potência,   inércia/momento,    posição,   orientação    da   ferramenta (equivalente à Categoria 3);
  • Monitoramento do TCP e entre juntas;
  • Conectores para equipamentos de segurança externos;
  • Robô leve e sem arestas afiadas;
  • Baixa frequência de exposição, Análise de Risco (ISO 12100).

Os principais perigos associados aos robôs colaborativos são:

  • Travamento/Impacto Quase-Estático: Limitação de força.
  • Impacto/Impacto Dinâmico: Limitação de velocidade, potência e

ISO/TS 15066

Publicada no ano de 2016, a ISO/TS 15066 é uma especificação técnica para segurança de sistemas robóticos colaborativos. É um documento de apoio às normas ISO 10218-1 e ISO 10218- 2, e visa à redução de restrições na interação entre humanos e robôs, bem como a orientação para operações colaborativas entre estes.

Sistemas robóticos industriais geralmente tendem a separar pessoas de robôs, de modo a evitar danos e lesões. Porém, com os recentes avanços tecnológicos, há uma tendência crescente de unir de forma segura a potência e a precisão dos robôs com a inteligência para a resolução de problemas dos humanos, o que poderá aumentar de forma significativa a produtividade da indústria.

Durante os trabalhos nas normas para segurança de robôs industriais (ISO 10218-1 e ISO 10218-2), surgiu uma questão conceitual: se uma aplicação não puder machucar ou ferir uma pessoa, por que não permitir o contato? Como consequência dessa questão, a ISO 10218 passou a discutir quatro técnicas para operação colaborativa. Os trabalhos na ISO/TS 15066 foram iniciados com a ideia de que, na eventualidade de haver qualquer contato acidental entre pessoas e máquina, não pode haver dor ou lesão.

Os tópicos abordados pela ISO/TS 15066 incluem:

  • Definições e características importantes de sistemas de controle de segurança;
  • Fatores de projeto de sistemas de robôs colaborativos;
  • Sistemas de segurança integrados e seu uso eficaz;
  • Requisitos para implementação de parada monitorada de segurança, direcionamento de mãos, monitoramento de velocidade e de separação, e limitação de força e potência.
  • Necessidade de uma Apreciação de Risco do sistema do robô e do ambiente de

A ISO/TS 15066 é uma ferramenta de estímulo à inovação e a investimentos na tecnologia de robótica colaborativa. Fornecendo orientação a projetistas e usuários de robôs industriais para ampliar a interação entre pessoas e sistemas robóticos em ambientes industriais, ela une produtividade e segurança.

Nota Técnica Nº 31

Publicada em 2018, visa esclarecer os requisitos técnicos necessários ao trabalho seguro com robôs industriais colaborativos e robôs tradicionais em aplicações colaborativas, à luz da interpretação técnica da NR-12.

Segundo ela, operadores e robôs podem trabalhar próximos, e contato físico entre eles pode ocorrer, eventualmente, desde que seja de forma segura. Nestas condições, a convivência simultânea de robôs em aplicações colaborativas e seres humanos não acarreta descumprimento ao disposto na NR-12.

Na verdade, essa “convivência” só pode acontecer se assim for indicado por uma ampla Apreciação de Riscos. Isto é realizado conforme especificado na norma ABNT NBR ISO 12100, considerados os parâmetros da ISO/TS 15066. Inclusive, é igualmente importante ressaltar que as soluções de segurança devem também ser especificadas a partir da realização de uma apropriada Apreciação de Riscos, observando a referida norma (ABNT NBR ISO 12100).

Ficou com alguma dúvida? Se interessou pelo modelo de robôs colaborativos da Universal Robots? Então entre em contato com a gente! Temos especialistas prontos para atender qualquer demanda!

1 comentário


  1. O Robô Colaborativo é uma ferramenta sensacional como ele podemos reduzir riscos de acidentes grave afastando o homem das zonas perigosas da máquina e ainda obter ganhos de produtividade, repetibilidade e eliminação de falhas operacionais. A implantação se torna colaborativa quanto são executados todos os testes de validação estabelecidos na ISO TS 15066, a emissão do laudo técnico de validação com todos os registros e parâmetros dos testes é a garantia necessária para cumprir a lei e não gerar riscos adicionais a operação.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *